UNIVERSIDADE : Afinal, era verdade...

quinta-feira, março 16, 2017


Entrei no mundo universitário em Setembro de 2013. Entretanto, já me licenciei e sou, neste momento, estudante de mestrado, mantendo-me na mesma universidade desde o início. E se na altura me diziam que ia sofrer uma espécie de "choque" devido às diferenças entre o secundário e a universidade, nunca senti nada disso. Todas aquelas "verdades universitárias" que metiam medo a qualquer pré-caloiro, eu verifiquei que eram, afinal, apenas mitos. Não senti assim tanta diferença entre os dois ciclos de ensino, a única coisa de diferente era a dimensão do espaço e, consequentemente, a quantidade de pessoas diferentes, mas a nível de estudos não senti nada de tão extraordinariamente distinto. Os professores sempre foram super acessíveis, nunca senti que "guardassem as notas para eles" como muitas vezes se falava, explicavam bem, escreviam a matéria no quadro e preocupavam-se em saber se estavamos a aprender as coisas como deve de ser... claro que há professores bons e maus, como em todo o lado, mas não senti distinção com o tipo de professores do secundário e, mais importante, nunca me senti muito injustiçada no que toca a classificações.

Mal sabia eu que tive professores de sonho na minha licenciatura... e só agora, no mestrado, é que consigo dar razão a todas as "maldades" que se falava. Sim, há professores que parece que têm medo de dar boas notas, que não têm qualquer tipo de consideração pelos alunos e que nos colocam em segundo (ou mais baixo ainda!) plano sempre que surge uma oportunidade. Isto revolta-me profundamente. Já estou farta de ouvir que "16 é considerado muito bom", como se o facto de eu querer (e achar que mereço!) mais do que isso fosse algo de muito impossível de acontecer. Gente, as classificações vão até aos 20 valores... não acabam no 16. Passei os últimos dias frustrada, injustiçada, revoltada... mas entretanto já me mentalizei que não posso fazer nada, a não ser continuar a dar o meu melhor e esperar que apareça alguém a dar valor a isso.

Escrito a 16 de Fevereiro de 2017

3 comentários

  1. Pois...Quando vim para a FDUC também achava que a escala era real, mas não, a maior parte dá até 16, 17 em oral e so sendo muito bom...Aqui aplica-se esses mitos que disseste. Todos. ;p

    ResponderEliminar
  2. R: Isso é ridiculo mesmo, duvidarem das tuas capacidades só porque estão habituados a ver tudo em explicações para tirarem boas notas...:o

    ResponderEliminar
  3. Existe uma desigualdade extrema. Existe um certo tipo de penalização fora do nosso controle. Na universidade há muita coisa que nos ultrapassa, as notas são dadas muitas vezes sem se VER a prova.
    Nunca quis em momento algum que um professor soubesse o meu nome e mesmo assim abri guerra contra um...e ganhei.
    Pagamos por um ensino manipulado, mas ninguém lá dentro é capaz de lutar por justiça!

    ResponderEliminar

Seguidores