UNIVERSIDADE : O Estágio

quinta-feira, agosto 03, 2017


Muitos são os cursos universitários (e até antes de lá chegar) que incluem estágios profissionais. Isso não é novidade, todos já ouvimos falar no assunto, mesmo que seja com pouco pormenor, mas nem todos passamos por essa fase. Pessoalmente, ainda não sei o que é ser estagiária, uma vez que o meu percurso académico até agora não tinha essa componente, mas isso está prestes a mudar. No próximo mês inicio, finalmente, o meu ano de estágio! Será, para mim, o ano de transição entre a Letícia-aluna e a Letícia-professora pois serei as duas coisas em simultâneo.

Apesar de todos termos alguma noção do que pode ser um estágio (uma espécie de preparação para o mundo do trabalho no ramo em que estamos, ou pelo menos deveria ser isso), cada estágio é diferente e cada ramo pode proporcionar experiências diferentes. Muitos de nós temos aquela ideia de "se te esforçares no estágio, os patrões podem gostar de ti e ficas lá a trabalhar"... e sim, isto pode realmente acontecer em muitos casos.

O meu estágio permite-me acompanhar o trabalho de um professor do ensino secundário, tendo a oportunidade de contactar mais de perto com a profissão e com os seus desafios, mas tudo no setor público. Ora, como todos devem saber, os professores do ensino público são contratados através de concursos a nível nacional, e não pelos diretores das escolas, o que significa que o meu estágio não me dá, de todo, passagem facilitada para trabalhar naquela escola, ou em qualquer outra. O máximo que pode acontecer é eu ter uma boa nota no estágio, que se reflete depois na minha média (e mesmo uma boa média não garante nada, pois estamos em desvantagem perante aqueles que têm muitos anos de serviço), ou algum dos professores conhecer alguém de escolas privadas e "dar um toquezinho" - chamem-lhe cunhas, se quiserem, mas nestes casos eu chamo apenas de reconhecimento.

Por isso, no meu estágio, não tenho aquele rebuçado do "emprego certo" no final, por muito que me esforce. No entanto, depois de ter dado duro para ter boa média numa licenciatura que não me serve de rigorosamente nada a não ser como pré-requisito para o mestrado, farei o mesmo ou ainda mais num estágio onde está tudo por aprender e onde o maior objetivo é deixar a escola marcada. Quero que, nos anos seguintes à minha passagem por lá, todo o corpo docente se recorde "daquela estagiária". Até podem não saber todos o meu nome, mas todos saberão do meu esforço e dedicação para ir além daquilo que era estritamente necessário.

10 comentários

  1. A sério? :O Que coincidência!!! Então provavelmente conheceste os meus colegas da altura *.* Relativamente à praxe, no meu ano foi espetacular!!! Tive Doutores fantásticos, super divertidos, nossos amigos fora da praxe. No ano seguinte eu vim embora mas quem praxou foram os meus colegas caloiros e acho que ainda foi parecida com a que tivemos. Mas, pelo que percebi quando os visitei, os caloiros que eles tinham não eram como nós... Não tinham aquele espírito, não eram divertidos. Nós adorávamos, eramos muito unidos e por isso divertiamo-nos muito. Eles não eram assim. Então no ano seguinte a praxe já não foi nada de jeito. Lembro-me de os meus colegas se queixarem do grupo que tinham sido caloiro deles...Diziam que eles não sabiam praxar, só gritavam mas não diziam nada de jeito... As coisas mudaram... :/

    ResponderEliminar
  2. R: Eu fui caloira com o grupo de 2009/2010... Portanto os meus colegas praxaram no ano 2010/2011 e queixavam-se do grupo de caloiros que tinham... Que foram precisamente os que te praxaram no ano 2011/2012. Era precisamente desse grupo de praxantes que estava a falar! Os meus colegas queixavam-se deles... :S

    ResponderEliminar
  3. Em setembro começo o meu 3º ano letivo... :P Quando terminei o mestrado fui convidada para trabalhar onde estou agora :)

    ResponderEliminar
  4. Sim. Eu fiz a licenciatura numa faculdade que tem uma associação com escolas no país todo. Quando terminei o mestrado fui convidada para trabalhar com eles :)

    ResponderEliminar
  5. Depende... Muitas colegas minhas não foram chamadas...

    ResponderEliminar
  6. Eu enviei imensos CVs... E concorri ao público. Mas não está nada fácil :/

    ResponderEliminar
  7. Ah sim, tens que começar pelo privado. Até para depois teres 365 dias de trabalho no mínimo para concorreres.
    Começa a mandar os CVs no teu último ano de mestrado! Começa logo a mandar tipo em janeiro, fevereiro... Vais mandando. E se for necessário voltas a mandar em junho ;)

    ResponderEliminar
  8. Passei por três estágios e esforcei-me sempre ao máximo! O importante é termos a noção que há sempre espaço para aprendermos coisas novas :) Aposto que irás marcar o teu local de estágio, com a força e paixão que demonstras!

    ResponderEliminar
  9. Há uma parte no preenchimento da candidatura em que pergunta se tens pelo menos 365 dias de trabalho até ao final de agosto do ano em que concorres. Este ano por exemplo, perguntava se tinha esse tempo até 31 de agosto de 2017... Aquilo é complicado de preencher. Confuso! Mas faz-se...

    ResponderEliminar
  10. Não sei... Uma colega minha ficou excluída do concurso mas ficamos sem a certeza de que foi por isso...

    ResponderEliminar

Seguidores